Os 5 anos de Guardiões da Galáxia Vol. 2 consagram o grupo de heróis no universo Marvel

A imagem é ampla e mostra os personagens em uma nave espacial em tons terrosos, ela é bem cheia de detalhes como ferros, canos, cabos, telas com projeções e poltronas. Da esquerda para a direita temos: Yondu, um homem azul médio, magro e alto careca e com um moicano de material sólido ao meio da cabeça, ele veste camadas de roupas de couro em tons bordô, marrom e roxo, ele está em pé com a mão esquerda apoiada em uma poltrona e a direita segura uma flecha dourada apoiada no ombro direito, ele sorri levemente. Em seguida temos Rocket sentado em uma poltrona, ele é um guaxinim marrom, que usa um macacão azul e sorri para a câmera. Em pé, do outro lado da poltrona, há Nebulosa, uma mulher magra, alta e robótica azul e roxa, com o braço esquerdo cinza ao lado do corpo e o direito apoiado na poltrona, usando um traje de couro com diversos recortes em tons de vermelho, ela encara a câmera séria. Do outro lado da nave, há outro grupo, que começa por Gamora, uma mulher alta, magra e de pele verde médio, ela tem cabelos levemente ondulados castanhos com as pontas rosas, ela veste uma blusa branca com um corpet de couro preto por cima, cobertos por um sobretudo marrom de couro, além de uma calça de couro preta e uma bota preta que vai até abaixo do joelho; Gamora olha séria e aponta para a câmera com a mão direita, enquanto a mão esquerda está apoiada na poltrona de Peter, um homem branco, magro, alto, de cabelo loiro escuro, ele veste uma calça marrom escuro e botas marrom médio, e por cima, uma jaqueta de couro vermelha, ele está olhando para frente de forma atenta e as duas mãos seguram os controles da nave. Logo atrás dele, está Mantis, uma alienígena magra, alta e com traços asiáticos, ela tem cabelo preto liso e duas antenas que começam no topo da testa, ela usa um traje de couro verde musgo médio, ela olha apreensiva para frente. Ao lado dela e de Peter há Drax, um homem alienígena de corpo cinza com desenhos vermelhos, ele é careca, tem olhos claros é alto e forte, ele nao usa camisa, apenas uma calça azul escuro com um cinto de metal; ele está em pé e, com a boca aberta, olha surpreso para frente. Por fim, Groot está no ombro esquerdo de Drax, ele é um pequeno homem-árvore e está em pé gritando.
“Às vezes passamos a vida procurando por alguém que sempre esteve ao nosso lado” (Foto: Marvel Studios)

“Eu sou Groot” – Groot

Júlia Caroline Fonte

A última década foi bem polêmica para a indústria cinematográfica, o boom dos filmes de heróis gerou vários conflitos entre os cinéfilos mais conservadores e os amantes da cultura pop. Os super-heróis foram os responsáveis por lotar as salas de cinema no mundo todo, principalmente devido às grandes mudanças nos Estúdios Marvel. Foi nessa década que heroínas e personagens não convencionais conquistaram seu lugar, como aconteceu com o grupo de deslocados conhecidos como Guardiões da Galáxia, que completa 5 anos de seu segundo filme.

Continue lendo “Os 5 anos de Guardiões da Galáxia Vol. 2 consagram o grupo de heróis no universo Marvel”

E se… a Marvel resolvesse mesmo arriscar?

Cena da série What If…?. Na imagem, da esquerda para a direita, vemos os personagens animados de Drax e T’Challa em um enquadramento em primeiro plano, dos ombros para cima. Drax é um personagem de pele branca com desenhos vermelhos pelo corpo e rosto, careca e de olhos azuis. Na imagem, ele está sorrindo, tem seu braço esquerdo por cima do ombro de T’Challa e sua mão direita apontando para ele. T’Challa é um personagem negro, de cabelos e barba pretos e olhos castanhos. Ele sorri desconcertado ao ser abraçado por Drax.
“Eu sou o Vigia, o seu guia através dessas novas e vastas realidades. Siga-me e pondere a questão: O que aconteceria se…?” (Foto: Disney+)

Vitória Lopes Gomez

“Tempo, espaço e realidade são mais do que caminhos lineares. São um prisma de possibilidades sem fim, onde uma única escolha pode ramificar-se em realidades infinitas, criando mundos alternativos daquele que você conhece”, narra o Vigia (Jeffrey Wright) ao começo de cada episódio de What If…?. Assim, em sua primeira animação para o streaming, a Marvel revisita mais de 10 anos de produções do estúdio e se arrisca a questionar: “e se momentos cruciais do universo cinematográfico tivessem acontecido só um pouquinho diferente?”. É ponderando a questão e suas implicações que a série antológica explora possibilidades e realidades alternativas, mas só para deixar a pergunta maior sem resposta. E se a Marvel resolvesse mesmo arriscar?

Continue lendo “E se… a Marvel resolvesse mesmo arriscar?”

O Esquadrão Suicida atira primeiro e pergunta depois

Cena do filme O Esquadrão Suicida exibe várias pessoas paradas no meio da selva. O homem no canto direito veste uma camiseta vermelha e azul colada ao corpo, bastante chamativa, usa uma calça branca e um capacete prateado na cabeça. À esquerda, há um homem negro com cabelo muito curto vestindo uma armadura, um tubarão humanoide e uma mulher branca também protegida por uma armadura e com uma máscara de gás na cabeça. Além disso, vemos uma mulher branca, com cabelo preto longo e preso, vestindo uma regata verde-musgo. Atrás dela, dois homens negros observam, como se vissem algo fora do comum. Por último, vemos um homem branco musculoso e com uma tatuagem no braço esquerdo. Ele tem cabelo curto e usa uma camiseta amarela, estampada com o desenho de um coelho segurando uma placa.
O Esquadrão Suicida foi lançado simultaneamente nos cinemas e no HBO Max nos Estados Unidos (Foto: Warner Bros Pictures)

Caio Machado

O primeiro Esquadrão Suicida foi lançado em 2016, ainda numa tentativa de construir um universo cinematográfico dos personagens da DC Comics para rivalizar com a Marvel. O filme dirigido por David Ayer foi um sucesso de bilheteria, mas um fracasso de crítica. Em 2018, o diretor James Gunn, conhecido pelos dois Guardiões da Galáxia, foi contratado pela Warner para fazer um novo filme do grupo de supervilões, com liberdade criativa para tomar rumos diferentes da obra de Ayer. Na época, a contratação ocorreu depois da Disney ter demitido Gunn da direção de Guardiões da Galáxia Vol. 3 devido à polêmica envolvendo tweets antigos do cineasta que faziam piadas de mau gosto envolvendo estupro e pedofilia. Em 2019, Gunn foi recontratado pela Disney, mas o diretor já estava envolvido na produção de O Esquadrão Suicida.

Continue lendo “O Esquadrão Suicida atira primeiro e pergunta depois”

Amor e Monstros: uma extraordinária aventura em um mundo apocalíptico

Foto promocional do filme Love & Monsters. No centro é possível ver Dylan O'brien, homem branco de cabelo curto e preto, segurando uma arma nos ombros e olhando para a frente. Em baixo dele há a imagem dos outros três personagens principais. Na ordem, da esquerda para a direita, estão: Um homem branco de barba, roupas verdes e chapéu escuro; Uma mulher de ascendência asiática, regata verde e cabelo preto preso; Uma garota criança branca de cabelo preto solto, segurando um arco e flecha. No fundo há um carro abandonado, um telão e um poste com vários fios.
Amor e Monstros, protagonizado por Dylan O’Brien e disponível na Netflix, foi indicado ao Oscar 2021 de Melhores Efeitos Visuais (Foto: Netflix)

Mariana Chagas

Até onde o amor é capaz de levar alguém? Alguns saem do avião em direção ao trabalho dos sonhos para ir atrás de seu amado, como Rachel em Friends. Na fantasia de Sarah J. Maas, o amor motiva Feyre a subir a montanha e encarar sua maior inimiga. Em Romeu e Julieta, ele guia o encontro do casal com a morte. E, no filme Amor e Monstros, esse sentimento que é tão confuso, mágico e poderoso leva Joel Dawson a encarar um mundo pós-apocalíptico e seres gigantes, apenas para tentar achar a garota que ele ama.

Continue lendo “Amor e Monstros: uma extraordinária aventura em um mundo apocalíptico”