A arte de recomeçar de Demi Lovato é mais que uma conversa sincera

Aviso: o seguinte texto discursa sobre temas que podem se tornar gatilhos para algumas pessoas que sofrem/sofreram com dependência química, depressão, suicídio, transtornos alimentares e violência sexual.

Foto retangular da chamada do documentário Dancing With The Devil. No lado esquerdo, está a cantora Demi Lovato, do peito para cima. Ela é branca, possui cabelos pretos compridos ondulados e olhos castanhos escuros, quase pretos. Ela está maquiada, com os olhos bem marcados de preto. Na boca, ela usa um batom marrom cintilante e está semiaberta. Seu corpo está ligeiramente virado para a direita, olhando para cima. No lado direito, mais centralizado, está escrito “Demi Lovato:” com letras brancas e maiúsculas. Logo abaixo, está escrito “dancing with the devil” em letras minúsculas e brancas. O fundo está borrado, mas é possível enxergar uma parte de um tronco estreito de uma árvore, com muitos galhos e folhas.
“Eu disse que estava bem, mas estava mentindo”, cantou Demi na música que intitula o documentário (Foto: YouTube Originals)

Júlia Paes de Arruda

Medo, insegurança, tristeza, pressão estética, ansiedade, tensão. Todos esses sentimentos foram os combustíveis para que a bomba interna de Demi Lovato chegasse ao seu limite em 24 de julho de 2018. Três anos depois, a cantora abre seu coração de uma forma honesta, sensível, comovente e corajosa à respeito daquela noite que, milagrosamente, foi sobrevivente. 

O documentário Demi Lovato: Dancing With The Devil, disponível no YouTube, é dirigido por Michael D. Rather e conta a história do antes e depois da overdose pelo ponto de vista de Demi. Depoimentos de amigos, familiares e da equipe da artista são adicionados para construir arcos complementares à memória da cantora. Dessa forma, os relatos tornam-se mais verídicos e mais maleáveis de fazer o público entender o que aconteceu de fato. 

Continue lendo “A arte de recomeçar de Demi Lovato é mais que uma conversa sincera”

A nova era da Marvel começa a tomar forma em Falcão e o Soldado Invernal

A imagem retangular é uma cena de Falcão e o Soldado Invernal. Vemos dois homens de perfil apertando as mãos próximo a altura do peito. À esquerda vemos Anthony Mackie, um homem negro de 42 anos de idade. Ele possui um cabelo preto raspado e usa barbicha e bigode. Ele está com uma camiseta de manga longa de cor cinza. À sua direita vemos Sebastian Stan, um homem branco de 38 anos. Ele possui um cabelo preto de topete e uma barba rala. Ele também usa uma camiseta de manga longa de cor azul escuro. Ao fundo é possível ver uma casa, uma árvore e folhagem desfocada.
The Falcon and the Winter Soldier foi submetido ao Emmy como Melhor Série Dramática, mas as chances de uma segunda temporada ainda são pequenas (Foto: Disney/Marvel)

Caroline Campos

Depois de WandaVision arriscar uma visão mais ousada e menos linear para a primeira experiência televisiva dos estúdios Marvel, as expectativas em cima de Falcão e o Soldado Invernal borbulhavam pelas cabecinhas conspiratórias dos fãs do Universo Cinematográfico iniciado em 2008. Ao longo de seis episódios lançados semanalmente pela Disney+, a série comandada por Malcolm Spellman dos dois maiores parceiros de Steve Rogers retrata as consequências humanitárias de um mundo pós-blip, despreparado para lidar com o reaparecimento de metade da população depois dos eventos de Vingadores: Ultimato, mas não foge da fórmula ação-comédia já conhecida das telonas.

Continue lendo “A nova era da Marvel começa a tomar forma em Falcão e o Soldado Invernal”

Sex Education: na segunda temporada, é preciso amadurecer

 Imagem promocional da segunda temporada de Sex Education. Na imagem, vemos nove personagens da trama. Da esquerda para a direita, está Adam, um homem branco de cabelos raspados. Está sentado em uma mala e tem um cachorro ao seu lado; Aimee é uma mulher branca de cabelos louros e está de pé ao seu lado. Ela segura um taco de beisebol, está usando uma jaqueta vermelha e calça jeans; Maeve, mulher branca de cabelos escuros, está sentada com a mão direita segurando o rosto. Ela usa uma jaqueta escura com franjas e meia-calça preta; Otis é um homem branco de cabelos castanhos, está de costas, usando uma jaqueta azul e vermelha e tem lenços brancos no bolso traseiro de sua calça; Eric, homem negro com cabelo raspado, está segurando o ombro de Otis com expressão de surpresa. Ele usa uma jaqueta azul e uma calça xadrez; Jean, uma mulher branca de cabelos louros, está ao seu lado, com um caderno em mãos. Ela está usando um vestido azul; Ola é uma mulher negra com cabelos cacheados e curtos, ela está agachada à frente. Usa uma jaqueta verde e uma blusa listrada colorida; Lily está ao seu lado, deitada de lado em um banco. Ela é uma mulher branca, com cabelos castanhos, em dois coques. Ela usa camiseta colorida e calça laranja; Jackson é um homem negro retinto de cabelo raspado. Ele está de pé atrás de Lily, usando uma jaqueta vermelha com um M, símbolo da escola Moordale, e uma tipoia no braço.
A segunda temporada de Sex Education é madura e inovadora (Foto: Reprodução)

Ana Marcílio

Após o imenso sucesso da primeira temporada, Sex Education tinha uma grande missão a ser cumprida: manter o mesmo nível, sem perder a essência. Ter um enredo adolescente e não ser mais do mesmo é um desafio e tanto. Apesar disso, a criação de Laurie Nunn conseguiu ser inovadora, trazendo o amadurecimento do roteiro para os seus personagens. 

Continue lendo “Sex Education: na segunda temporada, é preciso amadurecer”

Em tempos de amnésia seletiva, Cidade Invisível entrega esperança e suscita discussões

Cena da série Cidade Invisível. Fotografia retangular do ator Marcos Pigossi, dos ombros até o topo da cabeça. Ele é um homem de cabelos castanhos, barba e bigode. Ele está sentado numa poltrona azul claro e possui uma borboleta sobre os olhos. Ela é roxa azulada com manchas pretas nas bordas das asas. Na parte inferior de cada asa, tem um círculo branco com um círculo roxo dentro, imitando dois olhos. Marcos possui a boca semiaberta, com a parte debaixo dos dentes da frente aparecendo, como se estivesse num cochilo. Ao fundo, há um aparador de madeira. A imagem possui uma tonalidade amarela acentuada.
“As pessoas são cruéis, elas têm medo de tudo que é diferente porque a gente revela como elas são absurdamente iguais e entediantes” (Foto: Reprodução)

Júlia Paes de Arruda

Como seria se o nosso folclore se materializasse e convivesse todos os dias conosco, com seus personagens despercebidos e infiltrados na sociedade? Se as histórias de infância fossem realmente verdade? Essa é a proposta de Carlos Saldanha (diretor das franquias Rio e A Era do Gelo) em Cidade Invisível. Diferentemente do que estamos acostumados, o novo sucesso da Netflix ganha um teor adulto ao unir-se com um suspense investigativo. Apesar da narrativa envolvente e provocante, a execução das ideias traz algumas problemáticas que merecem ser destacadas. 

Continue lendo “Em tempos de amnésia seletiva, Cidade Invisível entrega esperança e suscita discussões”

Uma celebração dos 50 anos de Gillian Flynn e de suas mulheres perturbadoras

Foto em preto e branco da autora Gillian Flynn. Ela é uma mulher de 50 anos branca com cabelos castanhos na altura do ombro, usando um longo vestido branco sem mangas. Gillian Flynn está sentada em uma poltrona de vime, com as mãos entrelaçadas e algumas plantas no fundo. Olha diretamente para a câmera, e está sorrindo sem mostrar os dentes.
“É uma fascinação minha: assassinato, traição, vingança, engano, loucura — todas as minhas coisas favoritas” (Foto: M. Spencer Green)

Carol Dalla Vecchia e Layla de Oliveira 

“Eu estou falando de mulheres violentas, perversas. Mulheres sinistras. Não me diga que você não conhece algumas”. Com dificuldades de se enturmar por conta de sua timidez, a jovem Gillian Flynn encontrou uma fuga na leitura e na escrita, o que a levou a cursar Jornalismo na Universidade do Kansas (KU). Uma vez formada, ela planejava se tornar repórter policial, no entanto, percebeu que era desajeitada para o ramo criminal por querer que toda história tivesse um começo, meio e fim. Assim, começou a trabalhar na Entertainment Weekly, escrevendo críticas de cinema e TV por dez anos.

Continue lendo “Uma celebração dos 50 anos de Gillian Flynn e de suas mulheres perturbadoras”

(Des)encanto: a princesa encantada com a personalidade de Homer Simpson está na terceira parte de sua história

Centralizada e em primeiro plano há a personagem Dagmar, ela tem traços típicos de cartoons como olhos redondos e boca grande. A personagem é desenhada tocando as margens superior e inferior da cena, suas roupas são um vestido decotado em tons escuros, com uma adaga presa à cintura, brincos cinzas e uma coroa dourada. Seu cabelo é liso, longo e branco e sua expressão é de malícia. O plano de fundo da imagem é quase todo coberto com criaturas esquisitas, todas iguais, elas são baixas, tem os olhos redondos e completamente pretos, um nariz exagerado, orelhas pontudas e a pele esverdeada, suas vestes são tocas e vestidos em tons castanhos. A cena é bem sombreada com iluminação em destaque para Dagmar.
(Des)encanto é uma série recheada de referências à cultura pop como um todo, em muitos episódios podemos encontrar menções à outra série de Matt Groening, Os Simpsons (Foto: Reprodução)

Nathalia Franqlin

2021 chegou trazendo a renovação de várias séries nas plataformas de streaming e (Des)encanto foi uma delas. A obra do cartunista Matt Groening – criador de Os Simpsons e de Futurama – está na sua terceira parte e é exclusiva da Netflix. Para o desespero dos fãs, houve atraso na produção em decorrência da pandemia e a estreia da terceira parte foi adiada de setembro de 2020 para janeiro de 2021. Essa foi uma espera particularmente difícil considerando os acontecimentos finais da segunda temporada, como o suspense para sabermos se o Rei Zörg (John DiMaggio) iria sobreviver ao tiro e o que aconteceria com a Princesa Bean (Abbi Jacobson) após ser condenada à fogueira.

Continue lendo “(Des)encanto: a princesa encantada com a personalidade de Homer Simpson está na terceira parte de sua história”

A cada novo episódio, Haikyuu se desafiou ainda mais até o topo

Cena da animação Haikyuu!!. A imagem mostra os dois personagens principais durante um de seus ataques rápidos. Hinata está de costas saltando e Kageyama levantando a bola. Os dois vestem um uniforme laranja, e são vistos em um ângulo baixo.
“Mesmo quem está no topo do mundo, se sempre fizer a mesma coisa, um dia  cairá. Nós não somos nem o melhor do país ainda. Se ficarmos presos no ontem, o que seremos amanhã?’’ Desafie-se hoje (Foto: Reprodução)

Anna Clara Leandro Candido

“Aquele que sobe as escadas, deve começar por baixo’’. Essa pequena frase de sabedoria dita por Ittetsu Takeda representa bem a jornada percorrida pelos personagens de Haikyuu!! desde o primeiro episódio. Agora, após terem superado a muralha de ferro, o time festeiro, o grande rei e a antes invicta águia branca, os Corvos de Miyagi alçam voo rumo a quadra laranja em Tokyo. Munidos com uma nova animação, time de produção, uma épica trilha sonora, narrativas emocionantes e muita determinação.

Continue lendo “A cada novo episódio, Haikyuu se desafiou ainda mais até o topo”

One Day at a Time voltou para deixar mais saudades

Fotografia promocional de One Day At a Time. No centro vemos Penélope, uma mulher latina, de cabelo ondulado na altura dos ombros. Ela veste uma jaqueta azul. Ao seu lado direito temos Alex, adolescente, filho de Penélope. Ele tem cabelo curto e castanho. Ele veste jaqueta vermelha e bege, com bolso verde e amarelo. Ao lado esquerdo de Penélope temos sua filha Elena. Ela tem cabelos longos e pretos. Veste uma jaqueta verde e óculos preto. Acima de Penélope vemos sua mãe, Lydia. Ela tem cabelo na altura da orelha e franja. Veste uma camisa vermelha de manga longa com detalhes em branco. Ao lado direito de Lydia vemos Schneider. Um homem branco, de cabelo curto. Ele tem barba, olhos azuis e usa óculos preto. Ele veste camisa branca e jaqueta jeans. Ao lado esquerdo vemos o Dr. Berkowitz. Um homem mais velho, branco e de cabelo curto. Ele veste uma camisa rosa. O fundo da imagem é azul
Poster promocional da quarta temporada de One Day at a Time (Foto: Reprodução)

Ana Júlia Trevisan

O ano era 2019 e os fãs da série One Day at a Time se revoltavam no Twitter por conta do cancelamento feito pela Netflix. Após muitos pedidos para a renovação, foi entregue uma bem sucedida terceira temporada mostrando que o streaming ainda tinha força e conteúdo para continuar produzindo a queridinha dos assinantes. O cancelamento parecia improvável pois, além dos motivos já citados, o terceiro ano se finaliza com um gancho perfeito para uma nova temporada da série que foi abandonada.

Continue lendo “One Day at a Time voltou para deixar mais saudades”

Big Mouth: a construção de uma identidade e a assustadora chegada da adolescência

Cena da sitcom animada Big Mouth em sua quarta temporada. O cenário da imagem é o interior de um ônibus. No plano principal há três personagens, na parte esquerda da imagem está Connie, uma monstra hormonal, ela está sentada com os pés em cima do banco e a cabeça virada ¾ para a câmera. A personagem está sorrindo, ela é alta e sua cabeça chega à margem superior da imagem, a personagem tem traços extremamente exagerados típicos de cartoons, ela tem um par de chifres amarelos, assim como o resto de seu corpo, um cabelo longo, liso e vermelho escuro amarrado em duas partes, seus braços e pernas são cobertos de pelo marrom e seus pés são de cascos de cavalo. As roupas da personagem são um shorts azul e uma blusa rosa amarrada em cima da cintura. No meio da foto está o personagem Nick, ele é desenhado com sua cabeça e boca extremamente exagerados. Sua expressão é de atenção, ele é pequeno, magro, tem o cabelo castanho, liso e curto, pele branca e olhos azuis. O personagem está usando uma camisa verde claro, shorts azul e tênis roxo. Na parte esquerda da imagem está o personagem Andrew, ele está virado ¾ da frente da imagem para a direita e sua expressão é de tranquilidade. O personagem é branco, tem o cabelo castanho claro, curto e liso, olhos castanhos claros. O personagem usa óculos preto de grau e suas roupas são uma camisa de manga longa roxa e branca e shorts cinza.
O personagem Andrew Goldberg foi inspirado no co-criador da série de mesmo nome (Foto: Reprodução)

Nathalia Franqlin

Finalmente chegou na Netflix a tão esperada continuação de Big Mouth. A série animada de comédia estreou em 2017, surfando nessa onda nova de animações para adultos nas plataformas de streaming. Ela conta com a participação de nomes relevantes no gênero, como seu co-criador Andrew Goldberg, que já participou do roteiro de Uma Família da Pesada. O criador da série, e amigo de infância de Andrew, Nick Kroll, também não é um novato nessa área, ele fez parte do elenco de Festa da Salsicha, que é – de fato – uma predecessora das animações esteticamente infantis, de gosto duvidoso e explicitamente sexuais.

Continue lendo “Big Mouth: a construção de uma identidade e a assustadora chegada da adolescência”

As Five chegou revolucionando a maneira de lançar séries

Foto de divulgação de As Five, ambientação com paredes de cor cinza, um biombo e uma decoração rústica marrom à esquerda, no canto superior direito há um quadro de divulgação da décima sexta bienal. No centro da imagem as cinco atrizes estão posicionadas, três delas sentadas à frente e duas delas em pé atrás. Da esquerda para a direita, Manoela Aliperti que interpreta Lica, ela veste uma blusa preta e uma jaqueta de couro preta e azul, é branca de cabelo liso castanho médio e sorri com os dentes para a foto. Daphne Bozaski que interpreta Benê, veste uma blusa de mangas longas cinza com gola branca, é uma mulher branca de cabelo castanho liso e curto, usa óculos de armação redonda marrom, sorri para a foto e mantém os braços cruzados. Gabriela Medvedovski que interpreta Keyla, usa uma blusa moletom verde com uma jaqueta jeans clara por cima, é uma mulher branca de cabelo liso castanho médio e sorri para a foto, mantém as mãos com os dedos entrelaçados sobre a perna. Ana Hikari que interpreta Tina, veste um suéter de gola alta preto com uma blusa de crochê cinza claro por cima, é uma mulher amarela com olhos puxados, possui cabelos lisos pretos médios com franja que se encontram presos por duas marias chiquinhas baixas. Heslaine Vieira que interpreta Ellen, veste uma camiseta amarelo mostarda e um cachecol estampado, é uma mulher negra com cabelo castanho cacheado, usa óculos de armação bege e sorri com os dentes para a foto.
As atrizes já caracterizadas como as protagonistas de As Five (Foto: Reprodução)

Nicole Saraiva

Uma grande aposta da Globo, As Five acaba de finalizar a sua primeira temporada no Globoplay e com certeza se consagra como uma das melhores ideias que o autor Cao Hamburguer já teve. A série chega no streaming como um spin-off de Malhação: Viva a Diferença e se passa 5 anos após o fim da novelinha. 

Continue lendo “As Five chegou revolucionando a maneira de lançar séries”