Batman – O Cavaleiro das Trevas III: mais um retrato da paranoia de Frank Miller

Continuação do quadrinho clássico começa bem, mas é logo barrado pela cruzada antiterrorista do autor.

Dark Knight III

Após uma sequência ruim de obras, Miller retorna a sua série mais conhecida. (Créditos: DC Comics)

Lucas Marques dos Santos

O primeiro Cavaleiro das Trevas de Frank Miller, lançado em 1986, é um inegável marco nas histórias de quadrinhos ao situar os super-heróis em um ambiente político, de violência explicita e midiatizado. Junto com Watchmen, de Alan Moore, os quadrinhos de super-heróis começaram um movimento de conquista de um público que ia além do infanto-juvenil masculino já estabelecido. Hoje, 40 anos depois do original, O Cavaleiro das Trevas III está sendo publicado – por enquanto somente nos EUA com o título Dark Knight III: The Master Race. Entretanto muita coisa se passou e Frank Miller não é o mesmo. Continue lendo “Batman – O Cavaleiro das Trevas III: mais um retrato da paranoia de Frank Miller”

Batman Vs Superman: Uma batalha perdida

comp_batman_superman

João Pedro Fávero

Uma das adaptações mais esperadas pelos fãs de quadrinhos finalmente estreou. Quase três anos depois do seu anúncio na San Diego Comic-Con e depois de várias mudanças na sua data de estreia, “Batman Vs Superman: A Origem da Justiça” tem a missão de ser além de uma sequência para “O Homem de Aço”, uma adaptação da aclamada minissérie de quadrinhos “The Dark Knight Returns”, de Frank Miller, e o pontapé inicial para o universo cinematográfico apresentando os heróis da DC Comics. Um filme ambicioso, mas que, mesmo com as milhares de ideias que poderiam surgir para criar uma história coesa e empolgante, acaba sendo um longa-metragem desleixado e chato.

Continue lendo “Batman Vs Superman: Uma batalha perdida”

Batman vs Superman: Uma lição de Umberto Eco sobre os mitos contemporâneos

foto 1

Eli Vagner F. Rodrigues

A estreia da semana “Batman vs Superman” consolida tanto a disputa DC vs Marvel no calendário anual dos blockbusters derivados dos quadrinhos quanto recoloca em cena dois dos mais lucrativos heróis da história do cinema. O filme, mais uma vez, vai dividir o público, não somente entre os que torcerão para o homem-morcego, herói sem poderes adquiridos, que conta apenas com sua força humana, notável inteligência e obstinação e os que torcem para o virtuoso alienígena semideus, dotado de força quase ilimitada, poderes ultra-humanos. Continue lendo “Batman vs Superman: Uma lição de Umberto Eco sobre os mitos contemporâneos”