Divertida Mente: nossa mente é mais complexa do que parece

divertidamente

Danielle Cassita

“Divertida Mente”, a mais recente animação da poderosa Pixar, trata da história de Riley, uma garota de 11 anos que mora em Minnesota, nos EUA. Típica jovem do país, Riley é uma menina rodeada por amigos, talentosa no hóquei, além de ser filha única, muito amada por seus pais. Porém, esse quadro confortável muda quando sua família se muda para São Francisco, o que implica nas tradicionais – e por vezes complicadas – mudanças: nova casa, pessoas diferentes, uma outra realidade para se adaptar e enfrentar. Continue lendo “Divertida Mente: nossa mente é mais complexa do que parece”

O Menino e o Mundo: a modernidade pelos olhos de uma criança

menino-mundo

Marina Debrino

Com raras falas e uma estética minimalista, “O Menino e o Mundo”, de Alê Abreu, causará estranhamento para quem está acostumado com as animações dos estúdios de Hollywood. O filme foi o representante brasileiro no Oscar em 2016, concorrendo na categoria de Melhor Animação, e já carrega mais de 40 prêmios nacionais e internacionais na bagagem. No Festival Internacional de Animação de Annecy na França, uma das mais importantes premiações do gênero, venceu dois dos prêmios principais – o Prêmio Cristal de Melhor Longa e o Prêmio do Público, ambos no ano de 2014.  Além disso, foi o primeiro latino-americano a concorrer na categoria domingo (28) no Oscar. Continue lendo “O Menino e o Mundo: a modernidade pelos olhos de uma criança”

O Regresso: bonito de se ver, mas só uma vez

revenant

Nilo Vieira

As expectativas para a estreia de “O Regresso” eram enormes: o diretor era ninguém menos que o grande vencedor do Oscar 2015 Alejandro Iñárritu, e o protagonista do longa-metragem, Leonardo DiCaprio, muito querido pelo público cinéfilo. Antes mesmo da estreia no circuito comercial dos Estados Unidos, o site Consequence of Sound elegeu a performance de DiCaprio no filme como a melhor de sua carreira e, em entrevista ao Financial Times, Iñárritu declarou que sua nova obra-prima merecia ser vista em templos e que não se encaixava em nenhum gênero cinematográfico – em especial, rejeitou a classificação de “O Regresso” como um faroeste revisionista. O hype estava formado, e com força total.

Continue lendo “O Regresso: bonito de se ver, mas só uma vez”

Spotlight: Segredos Revelados é uma empolgante história sobre jornalismo

spotlight_xlg

Lucas Marques dos Santos

Em uma análise comparativa, Spotlight: Segredos Revelados se assemelha a sua temática, o processo de reportagem clássico e ideal: para a mensagem ser clara e objetiva, o texto segue formas funcionais, mas que não limam a subjetividade de um bom repórter.

Continue lendo “Spotlight: Segredos Revelados é uma empolgante história sobre jornalismo”

Mad Max: Estrada da Fúria, o reboot da distopia

mad-max

Mariane Arantes

Segundo o próprio diretor George Miller – premiado pela Academia em 2007, por Happy Feet -, não havia necessidade de fazer outro Mad Max. Ele já tinha feito três deles na década de 80: Tina Turner já havia marcado a geração de fãs cantando “We Don’t Need Another Hero” para a trilha sonora, Mel Gibson já tinha dado o seu melhor encarnando Max Rockatansky, guerreiro das estradas de um futuro distante procurando vingança pela assassinato de sua família. Porém, em entrevista concedida ao American Film Institution no ano passado, George Miller conta que a vontade de fazer mais um Mad Max patrulhou seu pensamento por muito tempo, onde quer que estivesse. Continue lendo “Mad Max: Estrada da Fúria, o reboot da distopia”

O Quarto de Jack: Há um mundo atrás da parede

room

Gabriel Fioravante

Dois mundos e dois personagens. Assim somos apresentados, logo de início, ao filme “O Quarto de Jack”, produção de 2015, dirigida por Lenny Abrahamson. Há metáforas e diversos assuntos que muitas vezes, passam despercebidos pelo espectador, pois as atuações, o enredo simples na estrutura, mas profundo na temática, envolvem de forma a criar um vínculo empático com os personagens. Continue lendo “O Quarto de Jack: Há um mundo atrás da parede”

Brooklyn: Dois países, dois amores, um coração

brooklynEilis (Saoirse Ronan) e Tony (Emory Cohen) (imagem: Fox)

Matheus Fernandes

Em 1952, a Irlanda passava por um período de estagnação econômica, que causou a maior emigração da história do país, mais de 50 mil pessoas por ano. Eilis Lacey (Saoirse Ronan) vive em uma pequena cidade no sul do país, Enniscorthy, onde tem um emprego sem perspectivas em uma mercearia e mora com sua mãe e irmã. Continue lendo “Brooklyn: Dois países, dois amores, um coração”