A Viagem de Chihiro: uma viagem de todos nós

Completando 15 anos em julho, A Viagem de Chihiro é o filme mais aclamado do diretor Hayao Miyazaki e guarda correspondências com um clássico da literatura


maxresdefault

Gabriel Leite Ferreira

“Quando penso em criar um protagonista masculino, tudo fica muito complicado”, diz o diretor Hayao Miyazaki em entrevista ao periódico japonês Animage, no ano de 1988. Naquele momento, ele é um dos profissionais de animação mais aclamados no Japão por O Castelo de Cagliostro (1979) e Nausicaä do Vale do Vento (1984), e as particularidades de suas obras, mais especificamente o grande número de protagonistas do sexo feminino, são alvo da curiosidade do público e da crítica. Sobre isso, Miyazaki afirma que histórias de aventura com protagonistas masculinos sempre pareceriam uma cópia de Indiana Jones, além de atentar para a necessidade de protagonistas femininas ativas não terem uma aparência “sem graça”, o que segundo ele seria uma contradição. Contudo, há 15 anos o diretor subvertia esses conceitos em seu filme mais festejado, A Viagem de Chihiro, vencedor do Oscar de Melhor Filme de Animação em 2003. Continue lendo “A Viagem de Chihiro: uma viagem de todos nós”

Os 30 anos de Curtindo a Vida Adoidado e a carreira vitoriosa de John Hughes

curtindoavidaadoidado.JPG
Cameron (Alan Ruck), Sloane (Mia Sara) e Ferris (Matthew Broderick) no Art Institute de Chicago

Guilherme Hansen

O cinema dos anos 1980 é famoso por inúmeros filmes de grande sucesso, verdadeiros clássicos que permanecem na memória do público e que até hoje exercem influência na chamada “cultura pop”. Vários desses filmes cult são direcionados ao público adolescente e têm seus roteiros ou a direção assinadas por John Hughes.

Continue lendo “Os 30 anos de Curtindo a Vida Adoidado e a carreira vitoriosa de John Hughes”

The Survivalist: uma experiência não verbal muito além dos filmes de sobrevivência

Adriano Arrigo

the-survivalist

Na Era da Informação, a tal da transmídia possibilitou que as narrativas transcendam seu lugar comum para povoar outros meios de comunicação. As linguagens de cada um desses meios também foram adaptadas para poderem serem deslocadas. Assim, houve uma convergência das linguagens que podem ser vistas, por exemplo, nos jogos Heavy Rain ou Last of Us que possuem roteiros claramente cinematográficos. Continue lendo “The Survivalist: uma experiência não verbal muito além dos filmes de sobrevivência”

Truque de Mestre 2 – O Segundo Ato: A magia da sequência ruim

truque de mestre 2.jpg
Camila Ramos

Truque de Mestre 2 é um daqueles filmes que fazem parte da extensa lista das “Sequências que deram muito Errado”. Além de estragarem o foco do filme, ainda encheram as cenas com um péssimo alívio cômico, superando Vingadores 2. O filme, que tinha um bom elenco e uma história um tanto interessante, ressurgiu três anos depois decepcionando quem procurava um filme de truques de mágica. Continue lendo “Truque de Mestre 2 – O Segundo Ato: A magia da sequência ruim”

O Enigma de Outro Mundo: o terror oitentista em sua excelência

enigma de outro mundo.jpg

Gabriel Andrade

O cinema dos anos 80 ficou marcado por seu exagero. Desde as roupas extravagantes dos filmes policiais de Los Angeles e Miami, até as comédias adolescentes que exploravam situações absurdas. O terror também não passou incólume pela década. Os slashers movies, filmes com serial killers que matavam suas vítimas da forma mais sangrenta possível, foram os maiores expoentes do gênero na década. Com Jason e Freddy Kruguer como seus maiores representantes.

Continue lendo “O Enigma de Outro Mundo: o terror oitentista em sua excelência”

Warcraft: pior que uma invasão Orc

warcraft-movie-poster-full_987.0.0.jpg

Matheus Fernandes

Misturar cinema e videogames dificilmente dá certo. Uma rápida olhada na página da Wikipedia sobre filmes baseados em jogos mostra que desde da estreia de Super Mario Bros, primeiro com lançamento internacional, em 1993, nenhum conseguiu chegar a marca de 50% de aprovação no agregador de reviews Rotten Tomatoes. Nem mesmo filmes carregados por estrelas como Tomb Raider, com Angelina Jolie, ou Príncipe da Pérsia, com Jake Gylenhall, conseguiram um mínimo de aprovação crítica, apesar do desempenho comercial razoável.

Continue lendo “Warcraft: pior que uma invasão Orc”

Alice, é melhor ficar no espelho

Só para não ver o que aconteceu com a sua história.

5wwbw1b5wd9wiydgqq8ickry2

Danielle Cassita

Mais uma vez temos uma obra clássica de Lewis Carroll sendo transformada em filme. Em 2010, foi pela direção de Tim Burton que Mia Wasikowska interpretou Alice nas telas de cinema. Agora, ela retorna ao papel em Alice Através do Espelho, junto de Anne Hathway (Rainha Branca), Helena Bonham Carter (Rainha Vermelha), Johnny Depp (Chapeleiro Maluco), entre outros. 

Continue lendo “Alice, é melhor ficar no espelho”