Hiroshima é um insigne relato antiguerra do frenético século XX

John Hersey transpõe o jornalismo tradicional e cria uma obra de caráter literário, humano e influente até os dias atuais

hiroshima
As ruínas do antigo centro de promoção industrial de Hiroshima, atual Memorial da Paz

Adriano Arrigo

Em 1979, o célebre personagem Sargento Kurtz do filme Apocalypse Now! (de Francis Ford Coppola) trouxe em seu corpo e mente os tenebrosos reflexos de uma guerra que assassinou nada menos do que 1 milhão e meio de pessoas. Kurtz, preso na guerra do Vietnã, é a síntese de um conflito entre o racional e irracional despertado devido as atrocidades bélicas que viveu. Em uma das cenas clássicas do filme, Kurtz, deitado no chão, reflete e sintetiza o que viveu: o horror… o horror.

Continue lendo “Hiroshima é um insigne relato antiguerra do frenético século XX”

30 anos do primeiro Castlevania: transposição do terror clássico e muita dificuldade

capa-corte
Belmont e Dracula, na capa de Castlevania (1986)

Adriano Arrigo

Em 30 anos de trajetória, a série Castlevania carrega um nome mais ou menos popular entre as grandes sagas de jogos que ainda perpetuam nos consoles atuais. A série tornou-se tão grande que talvez não tenha conseguido sustentar-se por si só. Mas seu tamanho é proporcional a ambição do mercado de games, que viu no grande potencial da série uma possível mina de dinheiro. A todo custo, a franquia tentou arrebatar novos fãs, mas muitos títulos foram verdadeiros cuspes na cruz (vide Castlevania Judgment, de 2009).

Continue lendo “30 anos do primeiro Castlevania: transposição do terror clássico e muita dificuldade”

The Survivalist: uma experiência não verbal muito além dos filmes de sobrevivência

Adriano Arrigo

the-survivalist

Na Era da Informação, a tal da transmídia possibilitou que as narrativas transcendam seu lugar comum para povoar outros meios de comunicação. As linguagens de cada um desses meios também foram adaptadas para poderem serem deslocadas. Assim, houve uma convergência das linguagens que podem ser vistas, por exemplo, nos jogos Heavy Rain ou Last of Us que possuem roteiros claramente cinematográficos. Continue lendo “The Survivalist: uma experiência não verbal muito além dos filmes de sobrevivência”