Racionais Mc’s: 30 anos contrariando as estatísticas

racionais mc'sGabriel Grunewald

“O Racionais é foda. Foda nada. Falei o óbvio, sou semianalfabeto, parceiro.” (Mano Brown)

São Paulo, dia 7 de junho de 2017, uma da manhã. Mano Brown, Edi Rock, Ice Blue e Kl Jay enchem, com milhares de pessoas, a casa de shows Audio Club, na Barra Funda, para sua festa de 30 anos. O público se emociona a cada batida. Quando os clássicos tocam, a pista canta junto cada verso. A produção é impecável: quatro DJs, projeção em 3D, dançarino e grupo de apoio.

Continue lendo “Racionais Mc’s: 30 anos contrariando as estatísticas”

The Get Down parte 2: do Bronx ao mundo

Imagem The Get Down

Matheus Rodrigo

Atualmente, o enfoque da indústria de entretenimento é atingir todos e todas. O plano é incluir, mas, às vezes, não necessariamente incluir representatividade. No momento da produção de conteúdo, procura-se atingir todos os nichos, ter demanda, falar com o público sobre assuntos complexos de forma simples. The Get Down é uma das séries da Netflix que aposta nisso. Continue lendo “The Get Down parte 2: do Bronx ao mundo”

DAMN: a era de Kendrick Lamar continua

 

kenny

Nilo Vieira

Em uma análise acerca de diferentes carreiras musicais elogiadas por crítica e público, algumas características em comum são encontradas. Reinvenção, consistência, alcance fora de seu nicho de origem, capacidade de extrapolar seu trabalho além do som. Poder de performances ao vivo, o modo como personas públicas se traduzem (ou se fragmentam) na arte, importância social e, claro, qualidade – um aspecto que é tão subjetivo como não é. Continue lendo “DAMN: a era de Kendrick Lamar continua”

Moonlight: gay kid, m.A.A.d city

moonlight-poster-lg

Nilo Vieira

Artistas negros sempre estiveram entre os mais importantes e inovadores em todos os segmentos, ainda que o reconhecimento fosse tardio ou quase inexistente. Na década atual, porém, este cenário vem mudando, dado que as lutas sociais da população negra são cada vez mais constantes e visualizadas: mais do que nunca, exigem ser vistos, ouvidos e representados dignamente, especialmente na arte. Continue lendo “Moonlight: gay kid, m.A.A.d city”

Os melhores álbuns de 2016

melhores álbuns 2016

Que ano foi 2016 para a música! Tivemos grandes perdas, é claro, mas também lançamentos impactantes. Aliás, os que se foram deixaram obras fundamentais. A lista dos cinco melhores discos do ano do Persona exalta as inovações dos artistas mais jovens, assim como põe abaixo o horrível clichê de que os veteranos da música popular não têm mais nada a dizer.

Continue lendo “Os melhores álbuns de 2016”

Após 20 anos, o que há ainda para compreender em Endtroducing…?

Endtroducing… é o disco que redefiniu gêneros músicas na década de 90 e ainda hoje tem muito a mostrar para os nascidos pós música digital.

Uma ode ao culto do LP e gatos: capa completa do álbum
Uma ode ao culto do LP e gatos: capa completa do álbum

Adriano Arrigo

Houve uma época em que se falava de boca cheia a quantidade de gigabytes que se possuía em uma mídia digital. Hoje, o brado do materialismo digital foi suprido por uma conta premium no Spotify. Há algo a se pensar nesse processo; porém, antes é de saber que a experiência proporcionada pela música independe dos meios pelos quais ecoa.

Continue lendo “Após 20 anos, o que há ainda para compreender em Endtroducing…?”

A Tribe Called Quest e Metallica: os dois lados da nostalgia

tribecalledquestwegotitfromhere

João Pedro Fávero e Nilo Vieira

Este mês foi marcado por dois lançamentos muito aguardados de artistas seminais em suas áreas: o álbum final do grupo de rap A Tribe Called Quest, We Got It From Here… Thank You 4 Your Service e Hardwired… To Self-Destruct, nova empreitada do Metallica. Além de serem discos duplos com títulos enormes, possuem o apelo nostálgico como semelhança notável e são exemplos distintos de como construir o futuro se utilizando das raízes do passado. Continue lendo “A Tribe Called Quest e Metallica: os dois lados da nostalgia”