A experiência de Hendrix

jimi-hendrix-50-anos

Gabriel Leite Ferreira

Em setembro de 1970 um meteoro desapareceu da atmosfera terrestre – não sem antes deixar rastros de seu facho de luz por todo o planeta. Morreu, aos 27 anos, o guitarrista Jimi Hendrix em circunstâncias conturbadas envolvendo overdose de pílulas para dormir e asfixia. Uma queda tão meteórica quanto sua ascensão três anos antes.

Continue lendo “A experiência de Hendrix”

Melhores discos de Abril/2017

gatodj2

Adriano Arrigo, Gabriel Leite, Matheus Fernandes e Nilo Vieira.

De volta do recesso com os dois pés no peito! Esprememos até a última gota, inclusive nos feriados, para trazer a seleção mais top possível. Ainda que a safra do mês anterior tenha sido mais empolgante, abril trouxe alguns dos discos mais aguardados no mainstream, além de pepitas underground. Cá vão nossos favoritos: Continue lendo “Melhores discos de Abril/2017”

O Poderoso Chefão: ainda uma oferta irrecusável

the-godfather

Gabriel Leite Ferreira e Nilo Vieira

Segundo Francis Ford Coppola, um termo-chave que defina o tema de suas produções é crucial para seu desenvolvimento – para ele, “sucessão” seria a escolha em relação à sua obra mais celebrada, O Poderoso Chefão (1972). Não há como negar que se trata de uma opção acertada, mas outra palavra parece fazer maior justiça: contradição. Continue lendo “O Poderoso Chefão: ainda uma oferta irrecusável”

The Velvet Underground & Nico: uma banana para os hippies, uma bíblia para os tortos

1

Gabriel Leite Ferreira

“Um dia uma chuva de verdade virá lavar toda a escória das ruas.”

– Travis Bickle

Entre as inúmeras contribuições de Martin Scorsese para a sétima arte, Taxi Driver é uma das maiores. Polêmico desde seu lançamento, em 1976, o quinto filme do diretor norte-americano sintetiza perfeitamente os anseios e as paranoias da geração pós-Vietnã em Travis Bickle, o taxista perturbado interpretado por Robert De Niro. O retrato sem retoques do submundo de Nova York é o auge da quebra dos padrões do cinema hollywoodiano promovida pelo New Hollywood, movimento capitaneado por diretores do final dos anos 60 cuja proposta tem raiz em outro campo da arte. Continue lendo “The Velvet Underground & Nico: uma banana para os hippies, uma bíblia para os tortos”

Melhores discos de Fevereiro/2017

oscar2017-moonlight-760x428

E mais um mês incansável para nossa curadoria! Para evitar gafes iguais a do Oscar 2017, passamos o carnaval debulhando discos para trazer só a nata para você. Dentre sons na medida para quem não curte sambar e álbuns certeiros para mandar aquele passinho, nossos favoritos de fevereiro:

Continue lendo “Melhores discos de Fevereiro/2017”

Manchester à Beira-Mar: a banalização da tristeza

Foto 1

Gabriel Leite Ferreira

O que fazer quando a vida é interrompida por uma tragédia? É possível superar o trauma ou restará a lembrança dolorosa dos que se foram para sempre ali, como uma ferida incurável? O diretor Kenneth Lonergan tenta responder a esse questionamento em seu novo longa-metragem Manchester à Beira-Mar e, de certo modo, é bem-sucedido nisso. Continue lendo “Manchester à Beira-Mar: a banalização da tristeza”

35 anos de Bad Brains: o punk também é negro

O raio rasta no Capitol Building
O raio rasta no Capitol Building

O Bad Brains é referência quando se fala em representatividade. Conversamos com integrantes da cena brasileira, que contaram um pouco de como a banda ajudou na construção da identidade negra no punk

Bárbara Alcântara e Gabriel Leite Ferreira

Desde sua origem, o movimento punk vendeu uma postura inclusiva e igualitária. Contudo, hoje seus ideais libertários são postos à prova pela falta de representatividade de minorias na cena. Uma das forças mais expressivas dessa reavaliação no contexto étnico é o Bad Brains, banda que é uma grande influência inclusive no Brasil.

Continue lendo “35 anos de Bad Brains: o punk também é negro”