O dia em que eu subi no palco do Green Day

André Dal Corsi “Desce daí agora!”, disse o bombeiro. Eu, inconformado: “Por quê? Qual é!!!”. “Só desce!”, retrucou um dos seguranças. Desci. Com certeza era o fim! Achava que não teria a oportunidade de subir no palco naquela noite. Afinal, se eu escalasse de novo nos ombros do Vitor, poderia ser retirado de perto do … Continue lendo “O dia em que eu subi no palco do Green Day”

20 anos depois, Dominatrix mostra que o riot grrrl não morreu

Bárbara Alcântara “Depois eles falam que as mulheres não são unidas”, ironizou a vocalista da banda paulistana Dominatrix, Elisa Gargiulo, no último sábado (22). Ela disse isso no camarim da Associação Cultural Cecília, logo após se apresentar na 3ª edição do Distúrbio Feminino Fest – em comemoração aos 20 anos de lançamento do álbum de … Continue lendo “20 anos depois, Dominatrix mostra que o riot grrrl não morreu”

Guns N’ Roses: 30 anos depois, o apetite ainda é insaciável

João Pedro de Lima Fávero Apesar do discurso outsider desde a sua origem nos anos 70 (e que perdura até hoje), o rock pesado e o heavy metal estavam no auge do sucesso na segunda metade dos anos 80 tanto nos Estados Unidos como em outros lugares do mundo.

Iggy Pop, o idiota com tesão pela vida

Bárbara Alcântara Quem teve a chance de ver Iggy & the Stooges no Claro Q É Rock, em 2005, ou no Planeta Terra, em 2009, ficou no mínimo abismado com a desenvoltura e a energia ainda exibidas pelo vocalista, mesmo aos mais de 60 anos de idade. Usando apenas um jeans feminino e um par … Continue lendo “Iggy Pop, o idiota com tesão pela vida”

The Velvet Underground & Nico: uma banana para os hippies, uma bíblia para os tortos

Gabriel Leite Ferreira “Um dia uma chuva de verdade virá lavar toda a escória das ruas.” – Travis Bickle Entre as inúmeras contribuições de Martin Scorsese para a sétima arte, Taxi Driver é uma das maiores. Polêmico desde seu lançamento, em 1976, o quinto filme do diretor norte-americano sintetiza perfeitamente os anseios e as paranoias … Continue lendo “The Velvet Underground & Nico: uma banana para os hippies, uma bíblia para os tortos”

40 anos de Ramones: Reacionarismo e revolução

Gabriel Leite Ferreira 1976. Seis anos sem os Beatles. O rock’n’roll havia alçado voos mais altos na era da psicodelia; o próximo passo foi a sofisticação do rock progressivo de Pink Floyd e Yes, que já soava redundante. Mesmo os expoentes com proposta mais direta apresentavam sinais de desgaste: o reinado do Led Zeppelin estava … Continue lendo “40 anos de Ramones: Reacionarismo e revolução”

Nirvana: 25 anos depois, o espírito adolescente permanece mais forte que nunca

Nilo Vieira Apenas colocar Nevermind como o disco mais importante da década de noventa não apenas é redundante, como se revela um reducionismo. É justamente pelo fato do álbum ter se tornado “vaca sagrada” em tão pouco tempo que reside o grande conflito de ser mais discutido do que, propriamente, ouvido. Os embates nem sempre … Continue lendo “Nirvana: 25 anos depois, o espírito adolescente permanece mais forte que nunca”